Um acordo entre o Brasil e o Canadá evitou que a Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizasse, ontem, uma retaliação por parte do País contra os canadenses. No início do ano, a OMC determinou a ilegalidade da ajuda do Canadá às exportações de jatos da Bombardier. O Brasil, portanto, teria o direito de pedir compensações pelos prejuízos causados por essa prática à Embraer, que totalizariam US$ 3,36 bilhões. Mas um entendimento entre os dois países adiou pelo menos para o dia 24 de junho o pedido de retaliação.

“A idéia é dar mais tempo para que os negociadores brasileiros e canadenses cheguem a um acordo, o que evitaria qualquer tipo de ação da natureza de uma retaliação”, explicou o embaixador do Canadá na OMC, Sérgio Marchi. Na avaliação do embaixador brasileiro em Genebra, Luís Felipe de Seixas Correa, o País não desistiu de retaliar. “Apenas estamos adiando o pedido e esperando a reunião que ocorrerá no final de junho, em Ottawa, entre os dois países”, afirma o representante do Itamaraty.