A proposta de privatização de aeroportos brasileiros levou funcionários administrativos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) a promover uma manifestação hoje no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os trabalhadores são contrários ao projeto do governo que, segundo o coordenador geral do Sindicato Nacional dos Aeroviários em Minas Gerais, Paulo de Tarso Gonçalves, não foi discutido com a categoria.

O aeroporto de Confins opera acima da capacidade e havia sido incluído na proposta de concessão dos aeroportos à iniciativa privada. Porém, assim como o Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, o aeroporto Tancredo Neves deve ser privatizado apenas em uma segunda etapa do processo. Os primeiros previstos para serem transferidos para a iniciativa privada, em dezembro, são os de Guarulhos e Viracopos (SP) e o de Brasília.

Hoje, cerca de 100 trabalhadores se concentraram no saguão do aeroporto de Confins com faixas e distribuíram panfletos contra as privatizações aos usuários que passaram pelo terminal. Apesar da manifestação, pousos e decolagens ocorreram normalmente. Os trabalhadores têm indicativo de greve para o próximo mês.