Foto: Arquivo/O Estado

 Complexo soja: má performance no mercado externo afeta rentabilidade interna.

Com vendas de US$ 36,2 bilhões, a balança comercial agrícola bateu novo recorde nos dez primeiros meses de 2005. A informação é da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) que reclama, porém, que o setor está em crise. ?Uma análise mais detalhada desse resultado mostra que o novo recorde reflete a crise que enfrenta a atividade rural brasileira?, declarou, em nota, a entidade.

Segundo a CNA, a receita com as exportações agrícolas subiu 9,6% sobre a registrada entre janeiro e outubro de 2004, de US$ 33 bilhões. Naquele ano, o crescimento em relação ao mesmo período de 2003, quando o setor exportou US$ 25 bilhões, era de 29,5%.

?As vendas do agronegócio ao mercado internacional cresceram em 2005, mas sem o vigor registrado em anos anteriores. Isso mostra a perda de dinamismo no ritmo de exportações do setor?, disse, na mesma nota, o chefe do Departamento de Assuntos Internacionais e de Comércio Exterior da CNA, Antônio Donizeti Beraldo.

Ainda segundo a CNA, o superávit na balança agrícola nos dez primeiros meses de 2005 cresceu 10,3%, para US$ 32,02 bilhões.

A perda de fôlego no crescimento das exportações do agronegócio é consequência da má performance do complexo soja (grão, farelo e óleo) e da queda dos preços internacionais, ?movimento provocado pela supersafra mundial?.

As exportações do complexo soja cresceram 3,9% entre janeiro e outubro, somando 34,3 milhões de toneladas, segundo a CNA. Mas o faturamento caiu quase em US$ 1 bilhão, uma vez que o preço médio, de US$ 238,2 por tonelada, foi 15% menor do que o registrado em 2004. A receita com as exportações, com isso, ficaram em US$ 8,2 bilhões, contra US$ 9,3 bilhões no mesmo período de 2004.

Os demais segmentos do agronegócio registraram aumento nas exportações, declarou a CNA. O complexo carnes exportou o equivalente a US$ 6,7 bilhões, com aumento de 33,8% sobre os primeiros dez meses de 2004. Já as receitas com exportações de café subiram 49,5%, atingindo US$ 2,4 bilhões. O setor foi beneficiado com a valorização de 49% dos preços médios registrados nos dez primeiros meses de 2005. As exportações de açúcar e álcool subiram 51,3% no período, para US$ 4 bilhões.

Beraldo disse que o complexo soja será responsável por US$ 8,8 bilhões em receitas ao final de 2005, frente a um total de US$ 42 bilhões com as exportações do agronegócio brasileiro.

Em 2004, as exportações agrícolas do Brasil somaram US$ 39 bilhões, sendo US$ 10 bilhões arrecadados com as vendas do complexo soja.

A previsão da CNA é que o País encerre o ano com um saldo de US$ 37 bilhões na balança agrícola, com US$ 42 bilhões em exportações e US$ 5 bilhões em importações. Em 2004, o saldo foi de US$ 34,1 bilhões.