A indústria e os serviços cresceram ambos 4,2% no acumulado de 12 meses até junho ante período de 12 meses imediatamente anterior, divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O setor de agropecuária foi o que mais cresceu no acumulado de 12 meses até junho, apresentando elevação de 6,6%, mas foi o que menos cresceu nas demais comparações da pesquisa do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre: em relação ao primeiro trimestre (+0,6%); ante o segundo trimestre do ano passado (+0,2%) e no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2006 (+1,4%).

A gerente de contas trimestrais do IBGE, Rebeca Palis, explicou que a revisão feita no resultado do PIB da agropecuária no primeiro trimestre de 2007 foi conseqüência da inclusão de novos dados efetivos da pecuária e do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, apurados pelo próprio IBGE.

O PIB da agropecuária no primeiro trimestre de 2007, em relação a igual período de 2006, foi revisado de 2,1% divulgados anteriormente para 2,9%. Rebeca disse que os dados anteriores haviam sido calculados por projeção. Com os dados apresentados posteriormente pelo IBGE de abates de animais e previsão de safra, houve a revisão. Com a mudança nos resultados agrícolas, o PIB total nessa base de comparação também foi revisado, de 4 3% para 4,4%.

Investimentos

Os investimentos, no conceito de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), cresceram 9,8% nos 12 meses até junho em comparação com igual período imediatamente anterior. Na mesma comparação, o consumo das famílias aumentou 5,2% e o consumo do governo, 3,5%. As exportações de bens e serviços no período aumentaram 7,7%, mas o ritmo das importações foi muito maior, atingindo alta de 20,4%.