A Agência Internacional de Energia (AIE) revisou para cima sua expectativa de demanda pela produção de petróleo dos países-membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), mas alertou para a redução na oferta de petróleo da Líbia e do Iraque, que fazem parte do grupo.

Em seu relatório mensal, a AIE, que representa alguns dos maiores consumidores de petróleo do mundo, projetou a demanda pelo petróleo da Opep em 29,8 milhões de barris por dia neste ano, um aumento de 200 mil barris por dia em relação à previsão anterior.

A nova estimativa de demanda ainda está confortavelmente abaixo do nível médio de produção do grupo no primeiro semestre deste ano, de 30,6 milhões de barris por dia, mas a AIE destacou que “contínuas interrupções na oferta da Líbia e do Iraque (…) podem reduzir a produção do grupo nos próximos meses”. Os problemas na Líbia e no Iraque provocaram queda de 170 mil barris por dia na produção da Opep em julho, apesar de a produção na Arábia Saudita ter atingido o maior volume em um ano.

Por outro lado, a AIE acrescentou que o forte crescimento na produção de petróleo dos países que não integram a Opep e a redução na demanda das refinarias nos próximos meses podem mitigar as preocupações com a queda da oferta.

A demanda das refinarias por petróleo bruto tem subido desde meados do primeiro semestre, com alta de 5,1 milhões de barris por dia entre abril e julho, mais do que o dobro da média dos últimos cinco anos, disse a AIE. No entanto, a atividade das refinarias deverá diminuir a partir de setembro, já que a produção cresceu mais do que a demanda.

Ao mesmo tempo, a produção de países que não fazem parte da Opep deverá continuar crescendo bastante nos próximos seis meses. A AIE prevê que um aumento substancial na produção da América do Norte vai ajudar a elevar a oferta dos países de fora da Opep em 1,4 milhão de barris por dia no segundo semestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, para 55,4 milhões de barris por dia no quarto trimestre. Fonte: Dow Jones Newswires.