Os bancos não terão problemas para deixar de cobrar a CPMF a partir de 1º de janeiro, de acordo com a decisão tomada esta semana pelo Senado Federal. As instituições financeiras terão simplesmente que deixar de rodar o programa que registra o pagamento da CPMF nas contas dos seus clientes. É um ajuste simples, mais fácil do que o realizado para gerar o programa especial para cobrança da contribuição.

Para este ajuste não haverá custo algum por parte das instituições, lembrou um assessor da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Nos bancos, uma discussão nas últimas horas, é de como a Receita Federal do Brasil vai fazer para continuar cruzando as informações de movimentações financeiras das pessoas.