Foto: Anderson Tozato

Café e pão: mistura tradicional que está custando mais.

O café-da-manhã está ficando mais caro. E nem só por culpa do pãozinho, que sofreu um aumento considerável nos dois últimos meses. O leite também está chegando com preço mais alto aos balcões das padarias.

No acumulado dos últimos 12 meses, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), os produtos já subiram 30,62%, no caso do leite, e 9,2%, no caso do pão.

Para o economista do Dieese no Paraná, Sandro Silva, o preço do pãozinho vem subindo devagar, ?pressionado pela alta do trigo?. Já o leite, segundo ele, teve sua maior alta no segundo semestre do ano passado, em função da redução de oferta por causa de denúncias de mistura ilegal. Em alguns meses do ano passado, chegou a faltar o produto em panificadoras da capital. Em fevereiro de 2007, o litro custava R$ 1,08 no Estado. Em setembro, chegou a R$ 1,60, numa alta de 48,15%.

?Este ano o leite está baixo ainda. Desde outubro, caiu 11,88%?, diz Silva. ?Mas de qualquer forma o valor ainda está maior do que em fevereiro do ano passado?. Para ele, apesar do preço relativamente estável, o valor ainda está ?muito acima do normal?.

Nas padarias, é o aumento no pão que está sendo mais sentido. ?O leite teve um aumento grande no fim do ano passado, chegou até a faltar, mas agora ficou estável?, diz o gerente de uma padaria, Juliano da Silva. Hoje a padaria vende o leite tipo C, de saquinho, a R$ 1,56. ?Já no pão, teve bastante aumento na farinha, mas mesmo assim não podemos mexer muito no preço. Estamos tentando segurar a menos de R$ 6,00/kg?, diz.

Há padarias, porém, em que o preço do quilo do pãozinho chega próximo dos R$ 7,00.

Leite pode continuar aumentando

O Conselho de Produtores de Leite do Paraná (Conseleite), que calcula os preços de referência para os produtores de leite do Estado, divulgou esta semana os valores estimados para março, confirmando um aumento. O leite padrão, por exemplo, ficou em R$ 0,5756. Para se ter uma idéia, os valores de fevereiro fecharam em R$ 0,5423, e os de janeiro, em R$ 0,5290.

Caso a estimativa do Conseleite se confirme, o mês de março fechará com um aumento de 6,14% em relação ao mês passado, contra um aumento de 2,45% entre janeiro e fevereiro. Nos dois últimos meses, as estimativas ficaram abaixo do preço final de cada mês.

Segundo informações do próprio Conseleite, os valores por eles divulgados nem sempre refletem no consumidor final.