São Paulo

(AE) – O ouro é até agora o melhor investimento do ano, mas ele não é recomendado como um investimento seguro no momento, pois está sujeito a uma mudança de humor nos mercados. Essa é a avaliação do analista financeiro e professor da Universidade Federal do Paraná, Mauro Halfeld.

O fato é que o preço do ouro é dado no mercado internacional e, portanto, está sujeito às oscilações que ocorrem na economia mundial. Segundo o analista, a atual crise econômica mundial ainda pode dar algum fôlego ao mercado internacional do ouro, mas há muitos riscos nesse negócio, tanto em relação às características do investimento quanto às condições de mercado.

“Em 2001, antes dos ataques, o preço do metal estava bastante baixo. A partir daí, com o clima de insegurança, o ouro passou a ser procurado, o que provocou forte alta no preço do ativo. Agora, há probabilidade de o preço cair”, disse o especialista.

Câmbio

Outro fator que entra no preço do ouro no Brasil é o comportamento da taxa de câmbio, já que sua cotação é pelo dólar. Com a alta da moeda norte-americana, houve aumento do preço do metal no País.

A alta do ouro foi expressiva no ano: 28,84% até sexta-feira (14) – vencendo o dólar, o segundo no ranking, por 11,06 pontos percentuais. Devido a essa alta e à segurança que o metal traz, Halfeld acha prudente que os grandes investidores dediquem uma pequena parcela de seus recursos para esse ativo, já que, em um cenário de incertezas, é importante ter uma carteira diversificada. “A melhor opção para qualquer investidor, em qualquer mercado, é diversificar a carteira. Colocar 100% do capital em um único investimento é um equívoco.”