A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) planeja realizar até março o primeiro leilão de linhas de transmissão de 2011. O foco da licitação serão os ativos de transmissão que farão a conexão ao sistema das usinas eólicas, a biomassa e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) contratadas nos últimos leilões de geração. “A chamada pública do leilão acabou esta semana e a licitação das ICG (conexão compartilhada) deve ocorrer até março próximo”, afirmou hoje o diretor da Aneel, Edvaldo Santana, após a conclusão do terceiro leilão de transmissão de 2010, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo.

De acordo com o executivo, a Aneel deve promover entre três e quatro leilões de transmissão em 2011. Além do ICG, a agência também deve realizar no próximo ano a licitação dos ativos de transmissão que escoarão a energia da hidrelétrica Belo Monte (11,2 mil MW), no Rio Xingu (PA). Santana, contudo, afirmou que ainda não há previsão de data para esses novos certames.

Hoje, o terceiro leilão de transmissão apresentou um deságio médio de 43,67%, com uma Receita Anual Permitida (RAP) total final de R$ 50,4 milhões. “Com isso, o deságio médio dos leilões desde 2000 é de 26,01%”, afirmou o diretor da Aneel. Um destaque da licitação foi a conquista de um dos lotes, o A, por uma empresa chinesa, a Zhejiang Insigma, em parceria com a estatal gaúcha CEEE e a brasileira Procable. As espanholas Elecnor, Cobra Instalaciones Y Servicios e Abengoa arremataram a concessão dos lotes G, H e I, respectivamente.