O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, afirmou nesta quinta-feira, 04, que o setor automobilístico fez um acordo com o governo federal para que o aumento da porcentagem de etanol anidro na gasolina para 27,5% só seja adotado após a realização de testes. A mudança no nível foi aprovada na quarta-feira, 03, pelo Senado Federal e aguarda agora sanção da presidente Dilma Rousseff. O executivo ponderou que somente após a realização dos testes o setor dirá se concorda ou não com a medida.

Moan explicou que serão realizados dois testes, ambos no Centro de Pesquisa da Petrobras, com acompanhamento de todas as montadoras. De acordo com ele, o primeiro, com previsão de conclusão em outubro, será um teste de campo para avaliar a performance dos veículos. O segundo teste, por sua vez, deverá avaliar a durabilidade dos componentes dos veículos, com previsão para ser concluído em dezembro ou janeiro do próximo ano. “Após a conclusão desses dois testes, se a mistura for aprovada, não teremos nada contra a medida”, disse.