Buenos Aires

– O setor de máquinas agrícolas pode se transformar em breve num foco de conflito comercial entre Brasil e Argentina. Há meses os empresários argentinos alertam para uma invasão de máquinas brasileiras e pedem que o presidente Néstor Kirchner tome medidas para impedir a avalanche. Dados do Instituto para o Modelo Argentino indicam que as máquinas importadas poderiam chegar a quase 70% das vendas no mercado local até o fim do ano. Praticamente todas procedem do Brasil. Segundo o instituto, no segundo trimestre a produção nacional de máquinas cresceu 28% em comparação com o mesmo período do ano passado. Mas, apesar da grande recuperação de vendas, as empresas argentinas não foram capazes de competir com as concorrentes estrangeiras, principais beneficiadas pela expansão de 90% das vendas entre abril e junho em relação ao mesmo período de 2003. A presença brasileira é ostensiva nas áreas de colheitadeiras e tratores, respondendo por 80% do mercado.