Os alimentos in natura e os produtos ligados à pecuária trouxeram alívio à inflação no atacado na segunda prévia do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) de agosto. Os preços em queda anularam a alta da soja e do milho e levaram o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) a registrar alta de 0,01% neste mês, contra 0,76% na segunda prévia do mês passado, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta terça-feira, 18.

Os bens finais tiveram queda de 0,95% na leitura anunciada hoje, contra elevação de 0,56% em igual período de julho. De acordo com a instituição, a maior contribuição veio dos alimentos in natura, que ficaram 8,16% mais baratos. Só a batata inglesa cedeu 30,75%. No mês passado, os in natura haviam subido 2,05%.

As matérias-primas brutas também perderam força na passagem do mês e subiram 0,22%, ante 1,58% na segunda prévia do IGP-M de julho. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram minério de ferro (4,41% para -3,63%), bovinos (-0,98% para -2,76%) e leite in natura (1,83% para -1,10%). Em sentido oposto, destacam-se soja em grão (4,25% para 5,53%), milho em grão (0,99% para 3,40%) e café em grão (-0,15% para 2,05%).

Único grupo a acelerar em agosto, os bens intermediários (0,32% para 0,80%) foram puxados pelo subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de 0,44% para 0,85%, apontou a FGV.