São Paulo – Os 7,5 mil auditores fiscais da Receita Federal ameaçam entrar em greve na próxima terça-feira (13) caso o governo não atenda às reivindicações da categoria. A informação é do vice-presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco), Marcello Escobar.

Segundo ele, as negociações com a União estão em curso desde o último dia 31, quando o governo pediu prazo de dez dias para apresentar contraproposta aos auditores da Receita Federal. “Nos reunimos novamente na última segunda-feira, mas até o momento não houve avanço por parte do governo”, comentou Escobar.

O vice-presidente do Unafisco disse que a categoria aguarda até segunda-feira (12) posicionamento de representantes do governo de Luiz Inácio Lula da Silva. “Se não tivermos retorno até segunda que vem, a greve começa na terça”, avisou.

Escobar, no entanto, acredita em possibilidade de acordo com a União. A principal reivindicação dos auditores fiscais da Receita Federal é a equiparação salarial com os procuradores do Ministério Público Federal (MPF). Segundo o vice-presidente do Unafisco, o reajuste varia de acordo com as faixas nas quais os auditores se encontram. Em média, o reajuste pleiteado é de 40%.

O vice-presidente do Unafisco observa que o principal entrave na negociação com o governo é a não extensão do reajuste aos 7 mil auditores fiscais inativos. “Não vamos aceitar isso. Na reforma da Previdência o direito adquirido foi garantido. Não podemos admitir que agora não seja cumprido isso”, disse Escobar.