Auditores fiscais da Receita Federal paralisam as atividades ontem e hoje) em todas as delegacias sindicais do País e fazem operação-padrão nos portos, aeroportos e alfândegas, liberando apenas o que tem caráter de urgência, como cargas perecíveis, medicamentos, animais vivos e materiais explosivos.

A paralisação de 48 horas é uma ?greve de advertência? contra a criação da Receita Federal do Brasil, a chamada Super Receita. Ele discordam do compartilhamento de suas atividades com as dos técnicos da Receita, de nível médio. Alegam que a progressão funcional dos técnicos afeta os direitos dos auditores, que exercem funções de nível superior e foram selecionados em concurso público.

?Temos que barrar as tentativas de avanço sobre as atribuições do cargo de auditor fiscal da Receita, e demonstrar claramente que não aceitaremos soluções disfarçadas que atinjam nossas atribuições ou o princípio da hierarquia entre os cargos dentro da instituição?, disse o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco), Carlos André Nogueira.

Os auditores criticam o modo como a fusão das duas entidades – das secretarias da Receita Federal e da Receita Previdenciária – está sendo conduzida. Carlos André afirma que duas as secretarias têm estruturas, culturas e formas de trabalho diferentes no que se refere à fiscalização e à arrecadação.