O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, informou hoje que o superávit primário das contas do governo central em janeiro, de R$ 20,8 bilhões, é o maior para o mês e o segundo maior da história para todos os meses. Só fica atrás do superávit de R$ 26 bilhões registrado em setembro de 2010, quando o governo recebeu uma receita extraordinária de R$ 31,9 bilhões decorrente do processo de capitalização da Petrobras.

Augustin comentou ainda o resultado do superávit primário em 12 meses, que atingiu R$ 100,1 bilhões (2,4% do PIB). “Fica evidente que estamos com o primário em ascensão. Isso é positivo porque reflete o esforço grande para que o novo mix de política econômica seja o melhor possível”, disse Augustin, referindo-se ao termo utilizado no ano passado pela equipe econômica para definir uma estratégia de reforço da política fiscal para ajudar o Banco Central na redução da taxa de juros.

Segundo Augustin, o novo mix de política econômica tem dado certo e mostrado resultados importantes. O secretário fez questão de destacar, ao apresentar os dados das contas do governo central, que os números de janeiro não refletem o contingenciamento adotado pelo governo. Ele atribuiu o resultado positivo do mês passado ao bom desempenho da arrecadação, mas também a uma expansão menor das despesas.

Ele fez questão de ressaltar que as transferências para Estados e municípios, tradicionalmente, em janeiro, são menores, o que contribui para o resultado.

O secretário minimizou a queda de 17,4% dos investimentos em janeiro deste ano ante o mesmo mês do ano passado. Ele ponderou que em janeiro de 2011 a base estava elevada. Augustin argumentou que o ritmo de investimento já vinha mais lento desde os últimos meses do ano passado e atribuiu esse movimento ao fato de que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) ainda está no início. Segundo ele, é normal que o PAC 2 deslanche e os investimentos tenham ritmo acelerado depois. “O PAC 2 começa mais lento e depois vai acelerar”, disse. Ele preferiu, no entanto, não fazer prognósticos de quando essa aceleração ocorrerá. “É um movimento previsível em meses. Não é amanhã. Aos poucos, vai acelerando”, disse.

O secretário reforçou o prognóstico do governo de que haverá um crescimento significativo dos investimentos em 2012. Segundo ele, o aumento dos investimentos é uma questão chave para o País.

Augustin disse que os dados do PAC divulgados hoje já incluem a nova metodologia que considera os gastos do Minha Casa Minha Vida como investimentos.