O superávit da balança comercial na terceira semana do mês – de 13 a 19 de setembro – foi de US$ 823 milhões, resultado da diferença entre as exportações de US$ 2,214 bilhões e as importações de US$ 1,391 bilhão. No acumulado do ano, a balança acumula um saldo positivo de US$ 23,965 bilhões, resultado 40,56% maior que o registrado no mesmo período de 2003 (US$ 17,050 bilhões).

Na mesma comparação, o valor das exportações brasileiras cresceu 31,5%, e somou US$ 66,593 bilhões. Entretanto, as importações crescem em um ritmo forte também: 26,9%, para US$ 42,624 bilhões no acumulado do ano.

No ano, até a terceira semana de setembro, a média diária das exportações cresceu 32,2% para US$ 370 milhões em relação ao mesmo período do ano passado. A de importações cresceu 27,6%, para US$ 236,8 milhões.

A previsão do governo é que o superávit comercial fique em US$ 30 bilhões neste ano, contra US$ 24,8 bilhões em 2003. A meta é que as exportações alcancem o nível recorde de US$ 90 bilhões.

As exportações trazem dólares ao País e têm ajudado a manter o equilíbrio das contas externas. Com isso, o mercado financeiro fica mais tranqüilo em relação à capacidade de o País honrar suas dívidas em moeda estrangeira.

O saldo comercial positivo é um dos fatores que puxou o crescimento da economia brasileira no primeiro semestre do ano. O PIB (Produto Interno Bruto, soma de todas as riquezas produzidas em um país) cresceu 4,2%, o maior crescimento desde o primeiro semestre de 2000.