Em apenas dois dias úteis em sua primeira semana, a balança comercial iniciou agosto com um superávit de US$ 281 milhões. Com esse resultado, o saldo comercial do ano subiu para US$ 4,084 bilhões, segundo dados divulgados hoje (5) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Esse valor está apenas US$ 1 bilhão abaixo da meta de US$ 5 bilhões estabelecida no início do ano pelo governo.

A combinação de um aumento das exportações com queda das importações assegurou o superávit da primeira semana do mês. Nesses dois dias úteis, as exportações totalizaram US$ 685 milhões. Depois de um aumento em julho, as importações voltaram a cair na primeira semana deste mês, chegando a US$ 404 milhões.

De acordo com os dados do Ministério do Desenvolvimento, a média diária das exportações na primeira semana do mês chegou a US$ 342,5 milhões, apresentando crescimento de 37,6% em relação à média de agosto do ano passado, de US$ 249 milhões.

Houve aumento nas vendas em todas as categorias de produtos. As exportações de produtos semimanufaturados tiveram crescimento nesse período de 106%, refletindo maiores vendas de celulose, alumínio em bruto, semimanufaturados de ferro/aço, couros e peles e óleo de soja em bruto.

As exportações de produtos básicos registraram aumento de 73,3%, com a expansão nas vendas de minérios de ferro, petróleo em bruto e carne suína. As exportações de produtos manufaturados registraram elevação de 8,3%, puxada pelas vendas principalmente de tratores, fio-máquina, laminados planos de ferro e aço, motores para veículos, automóveis, pneumáticos, autopeças, móveis, gasolina, bombas e compressores.

Em relação a julho, as exportações na primeira semana de agosto apresentaram, pela média diária, aumento de 26,6%. Do lado das importações, a média diária na primeira semana caiu para US$ 202 milhões, com uma retração de 8,9% em relação à média de agosto do ano passado, de US$ 221,7 milhões.