A paralisação de 24 horas promovida ontem pelos bancários atingiu 143 agências de Curitiba e região metropolitana e outras 117 unidades do interior do Estado, conforme balanço divulgado pelo sindicato da categoria.

“Nossa avaliação é muito positiva. Iniciamos o movimento com 92 agências fechadas em Curitiba e região e oito centros administrativos. À tarde, chegamos a 143 agências, além dos centros administrativos”, destacou o presidente do Sindicato dos Bancários da Grande Curitiba, Otávio Dias.

Só na Grande Curitiba, a estimativa é que 8,5 mil dos 17,5 mil bancários tenham cruzado os braços. Em todo o Paraná, 11 mil bancários aderiram à greve. A paralisação de ontem ocorreu em 12 estados.

O objetivo da paralisação era pressionar a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) a agendar nova negociação e melhorar a proposta de reajuste salarial. Os bancos querem conceder 0,3% de aumento real, enquanto os trabalhadores reivindicam 5%.

Segundo Otávio Dias, a categoria fará hoje uma avaliação nacional do movimento, em São Paulo. “Se não houver avanço nas negociações, a gente pode optar pelo indicativo de greve por tempo indeterminado”, comentou.

Em Brasília (DF) e no Rio de Janeiro (RJ), os bancários decidiram pela greve por tempo indeterminado, mas fariam ontem à noite nova assembléia. Em Curitiba, a categoria deve se reunir em nova assembléia ainda esta semana.