O Banco Central prevê um crescimento de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2009, segundo o Relatório Trimestral de Inflação, divulgado nesta segunda-feira (30). Na comparação entre o relatório anterior, divulgado em dezembro do ano passado, e o documento divulgado esta manhã, o BC reduziu em dois pontos porcentuais a previsão de crescimento do PIB este ano. No relatório de inflação de dezembro de 2008, a projeção do PIB para 2009 era de 3,2%.

A projeção do BC para a economia brasileira é menor do que a dos ministérios da Fazenda e do Planejamento, que para elaborar o decreto de programação orçamentária, divulgado este mês, estimaram uma expansão do PIB de 2%.

Inflação

A desaceleração da economia nacional em 2009 fez o Banco Central reduzir para 4% a projeção do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para este ano, segundo o relatório de inflação. Em apenas três meses, a autoridade monetária reduziu em 0,7 ponto porcentual a projeção da inflação oficial do País, já que no relatório trimestral de dezembro do ano passado, a autoridade monetária projetava uma inflação medida pelo IPCA de 4,7%.

A nova projeção de inflação do Banco Central está abaixo do centro da meta de 4,5, estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano.

Ainda de acordo com o relatório, a projeção da inflação medida pelo IPCA para 2010 caiu de 4,2% para 4%.

O BC destaca ainda que as decisões recentes de política monetária terão efeitos concentrados no fim de 2009 e “em particular” em 2010.

O cenário de referência do BC pressupõe dólar a R$ 2,35 e a taxa básica de juros, a Selic, em 11,25% ao ano.