Brasília – Após acumular um prejuízo de R$ 102,593 milhões em dois anos, o Banco Popular do Banco do Brasil (BB) deve começar a apresentar seus primeiros resultados positivos no segundo trimestre deste ano. ?Não sei se conseguiremos fechar o primeiro semestre no azul. Mas certamente alguns meses deste semestre já serão positivos?, comentou o presidente do Banco Popular, Robson Rocha, em solenidade de lançamento do cartão de débito do banco voltado para o atendimento da população de baixa renda numa agência da cidade de Taguatinga (DF).

Para o resultado final do ano, a expectativa de Rocha é de lucro – o primeiro desde a criação do Banco Popular em julho de 2004.

Para sair do vermelho, o banco teve de passar por um duro processo de ajuste das suas estruturas. ?O banco já chegou a ter cerca de 4 mil pontos de atendimento. Hoje trabalhamos com 2,7 mil pontos?, disse o presidente do Banco Popular.

Outro foco do ajuste foi a despesa com pessoal do banco. ?No ano passado, conseguimos reduzir os gastos com a folha de salários em 25%?, comentou. A redução, de acordo com Rocha, não foi obtida pela diminuição de empregados do banco.

A alta taxa de inadimplência dos empréstimos concedidos pelo banco, entretanto, ainda continua a ser uma fonte de preocupação. ?Trabalhamos para termos uma taxa de inadimplência abaixo dos 10%?, afirmou o presidente do Banco Popular. Hoje, o nível de atraso das operações de crédito do banco está em torno dos 23%. ?A inadimplência já foi maior. Já chegou aos 30%?, disse Rocha.

A queda, de acordo com o presidente do Banco Popular, foi propiciada pelas medidas adotadas no ano passado para melhorar a qualidade do crédito do banco. ?Antes das medidas, havia a abertura automática de um crédito de R$ 50,00 para os nossos clientes. Agora, só concedemos o empréstimo depois que o cliente permanecer pelo menos 90 dias conosco?, disse.

A inadimplência é mais alta, de acordo com o presidente do Banco Popular, nos Estados da Bahia e do Ceará.

Com 60% do seu público nos estados da região Nordeste, o Banco Popular tem hoje um estoque de R$ 65 milhões em empréstimos concedidos ao seu 1,3 milhão de clientes de baixa renda. ?No total são 2.950 contratos de empréstimo com um valor médio de aproximadamente R$ 150,00?, disse.

Após o lançamento do cartão de débito, o presidente do Banco Popular disse que o próximo passo será dar aos clientes da instituição a possibilidade de usar os terminais de auto-atendimento do BB. A expectativa, de acordo com Rocha, é que isto possa acontecer até o final do primeiro semestre do ano. ?Hoje os saques só podem ser feitos nas agências do próprio Banco Popular?, disse.