O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, criticou a determinação da França em proteger indústrias culturais e cinematográficas na Europa nas próximas negociações com os EUA sobre um enorme pacto de livre comércio. “Alguns dizem que eles pertencem à esquerda, na verdade eles são extremamente reacionários”, afirmou o presidente da Comissão Europeia em uma entrevista ao jornal International Herald Tribune publicada nesta segunda-feira.

A crítica extraordinariamente franca a um país membro da União Europeia se segue à maratona de negociações na sexta-feira entre 27 Ministros de Comércio do bloco para fechar um acordo sobre os termos do mandato da Comissão para negociar um acordo de livre comércio entre a UE e os EUA, que será o maior acordo desse tipo do mundo.

A França insistiu que o setor de audiovisual fosse excluído das negociações e, após 13 horas de negociações, um compromisso foi alcançado, incluindo a demanda da França, embora tenha sido afirmado que a Comissão poderá voltar à questão, se necessário.

Sem nomear a França, Barroso disse que aqueles que temem uma invasão cultural dos EUA na Europa “têm uma agenda anticultural”. Esse críticos “não compreendem os benefícios que a globalização traz também a partir de um ponto de vista cultural”, acrescentou. Fonte: Dow Jones Newswires.