Arquivo
Exportações do setor madeireiro crescem todos os anos.

Quando se fala em exportações, logo se lembra que o Paraná é forte na área de agronegócios. Porém, há muitos outros setores nos quais o Estado tem se destacado nos últimos anos, como por exemplo, o setor de base florestal. A área é bastante ramificada, abrange não só madeira e móveis, mas também papel e celulose, entre outros. E no conjunto, apesar do problema do câmbio, o Paraná exportou US$ 1,49 bilhão em 2007, sendo que US$ 1,03 bilhão é só de madeira. O Paraná se destaca no ranking nacional. Somando todo o setor, o Estado é o segundo maior exportador do País, perdendo para São Paulo. Santa Catarina fica em terceiro.

Para se ter uma idéia da posição do Paraná, só de madeira, os totais em dólares crescem ano a ano. Segundo dados da Abinci (que trata só do setor madeireiro), enquanto em 2006 só de compensados de pinus foram exportados no Paraná US$ 324.087,402, frente a US$ 338.803,642, em 2007. Já a madeira serrada de pinus ficou em segundo lugar, com US$ 131.809,528, em 2006, e US$ 111.845,151, em 2007. Em terceiro lugar fica a madeira serrada tropical. Comparando o primeiro trimestre de 2007 e 2008, o compensado de pinus também lidera no Paraná e vem aumentando bastante na comparação desses dois períodos. De janeiro a março de 2007, foram exportados US$ 68.064,176. Em 2008, no mesmo período, foram US$ 115.464,913.

Em todo o País, as exportações do segmento completo aumentaram 10% de 2006 para 2007. Enquanto em 2006 o país exportou US$ 8,2 bilhões, no ano passado foram US$ 9,07 bilhões. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada (Abinci), Antônio Rubens Camilotti, explica que enquanto os valores em dólar aumentam, a quantidade de madeira exportada diminui, mas mesmo assim o cenário ainda é bastante positivo para o setor. Ele informa que os tipos de madeira que mais diminuíram em volume de exportação foram o pinus, os produtos já industrializados (como portas, pisos e molduras, por exemplo) e os compensados tropicais. ?Mas ainda assim somos otimistas porque os preços no mercado internacional ainda estão altos, o que equilibrou essas diminuições de volume?, disse. Ele explicou também que grande parte dos países que compram do Brasil são da Europa, cuja moeda é o euro.

Prêmio Mérito Exportação 2008

Pela sétima vez, o Prêmio Mérito Exportação do setor de base florestal vai reconhecer os maiores exportadores do País. O evento vai acontecer no Estação Embratel Convention Center, em Curitiba, no dia 20 de maio. A empresa premiada vai receber um troféu. As 100 empresas que vão participar do evento representam 80% do total exportado pelo setor, ou seja, 5% de todas as exportações brasileiras no último ano.

Câmbio preocupa mas setor de móveis é otimista

O setor de móveis também está otimista, embora as limitações atuais para exportações preocupem, como o câmbio.

A Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário registrou um aumento de 5,6% nas exportações no País em 2007, em relação a 2006. A região Sul se destaca, responsável por metade das exportações. Santa Catarina fica em 1.º lugar, Rio Grande do Sul, em 2.º, e o Paraná, em 3.º.

Para 2008, o presidente da Associação, Luiz Diaz Fernandez, prevê um aumento semelhante, de 5%. No ano passado, o setor exportou cerca de US$ 1 bilhão. ?Apesar do problema do câmbio, da matéria prima e dos insumos aumentarem de preço, queremos continuar investindo em maquinário para crescer mais?, disse. Ele reclamou que os problemas estão fazendo muitas empresas do Sul fecharem as portas, principalmente em Santa Catarina.  Na opinião de Fernandez, o Paraná se destaca no setor pela cultura exportadora que tem.

Já para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada (Abinci), Antônio Rubens Camilotti, o governo deveria cumprir com suas obrigações e compensar o exportador dos impostos que ele paga. ?Nem o governo federal nem o estadual cumpre isso. Se cumprissem, o nosso setor seria desonerado em até 15%?. A área de papel e celulose também se destaca bastante nas exportações no País. No ano passado, o aumento nas vendas para outras países foi de 18% em relação a 2006. No ano passado, o Brasil vendeu US$ 4,72 bilhões. De tudo que é exportado, 7% é do setor de base florestal. (MA)