O Banco Central de Israel decidiu hoje deixar sua principal taxa de juros inalterada para agosto, na mínima histórica de 0,1%, após a inflação doméstica ter ganhado força em junho, mas alertou que a nova queda nos preços do petróleo provavelmente irá interferir na lenta saída do país do período de deflação.

Segundo cálculos do BC israelense, baseados na taxa de empréstimo interbancária local, há “alguma probabilidade de uma redução na taxa de juros nos próximos meses”. Analistas, porém, dizem duvidar que ocorram novos cortes na taxa.

Em junho, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de Israel subiu 0,3%, mostrando variação positiva pelo quarto mês consecutivo. A inflação anual, no entanto, permaneceu negativa em 0,4%, graças principalmente aos baixos preços das commodities e à concorrência maior, que pressionou os preços de alguns produtos no país. Fonte: Dow Jones Newswires.