Brasília

(AE) – Filas demoradas e atendimento ruim são as principais queixas dos clientes que têm contas bancárias, segundo levantamento mensal feito pelo Banco Central, relativo a maio. Três meses depois de o BC iniciar a divulgação dos dados, os maiores conglomerados financeiros do País continuam liderando o ranking de reclamações. Entre os grandes, o único pequeno é o Banco de Brasília (BRB), que manteve pelo segundo mês consecutivo a primeira posição.

Em junho, as queixas deverão aumentar ainda mais por causa da mudança na forma de contabilização dos fundos de investimento. Nas duas primeiras semanas de junho, somente a central de atendimento do BC em Brasília recebeu 73 ligações e 12 e-mails reclamando das perdas registradas e pedindo esclarecimentos.

No mês passado, a longa espera nas filas e o mau atendimento foram responsáveis por 537 reclamações, que foram encaminhadas pessoalmente, por e-mail, telefone ou carta. O número ficou um pouco abaixo das 584 queixas verificadas em abril. As grandes instituições que dominam o mercado, como o Santander, HSBC, ABN, Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômia e Itaú continuam no topo da lista. A grande maioria, no entanto, apresentou uma ligeira melhora no total de reclamações.

O BRB, por exemplo, que foi alvo de 31 queixas em abril, foi citado 19 vezes em maio. O Santander passou de 122 para 97 queixas no mesmo período. Já o HSBC caiu de 85 para 50; o Unibanco, de 110 para 107; o BB, de 245 para 236; o Bradesco, de 224 para 18; o Itaú, de 96 para 95; e a Caixa Econômica, de 209 para 160. O ABN, que tinha recebido 80 reclamações em abril, pulou para 88 em maio e o Banrisul também subiu de 29 para 46 queixas.

O ranking do BC leva em conta o número registros em comparação com o total de clientes que têm até R$ 20 mil depositados em conta corrente ou em aplicações como caderneta de poupança e CDBs, exceto fundos de investimento. As reclamações efetuadas pelos clientes incluem ainda tarifas consideradas elevadas, problemas com saques e depósitos em conta corrente e uso obrigatório dos caixas expressos.

Os técnicos do BC acreditam que a divulgação do ranking deve servir para melhorar o atendimento aos clientes. Por isso, o BC estuda a possibilidade de listar também as maiores reclamações de cada banco citado, e não apenas o dado consolidado de todo sistema financeiro, como é feito atualmente.