O Banco da Inglaterra (BOE, o banco central inglês) manteve a taxa de juro de referência da economia inalterada, em 0,5% ao ano, e também não ampliou o programa de flexibilização quantitativa de compra de títulos para além dos 200 bilhões de libras. Ambas as decisões eram esperadas.

Em outra divulgação do dia, o escritório nacional de estatísticas do Reino Unido informou que a produção manufatureira subiu 6% em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. Esta foi a maior alta desde dezembro de 1994, quando houve elevação de 6,2%. O crescimento da produção no Reino Unido foi impulsionado pela fabricação de máquinas e equipamentos.

Na comparação com julho, a produção manufatureira avançou 0,3%. Os dados vieram mais fortes que projetaram os economistas, que esperavam uma alta de 0,2%, em bases mensais, e de 5,8%, na comparação com agosto de 2009. Os dados de julho foram revisados para mostrar uma alta de 0,4% em relação a junho e de 5% na comparação com o mesmo período do ano passado. A previsão anterior havia apontado aumentos de 0,3% e 4,9%, respectivamente.

A medida mais ampla da produção industrial, que inclui produção manufatureira, mineração e extrativismo, eletricidade, gás e abastecimento de água, subiu 4,2% em agosto, na comparação com o mesmo período de 2009. O crescimento foi o maior desde dezembro de 1994, quando a produção industrial subiu 5,8%. Na comparação com julho, a produção industrial avançou 0,3%.

O escritório de estatísticas revisou ainda os dados de julho, em base anual, para uma alta de 0,2%, depois de anunciar anteriormente um crescimento de 1,9% da produção no mesmo período. Em relação ao junho, a produção registrou aumento de 0,3%. As informações são da Dow Jones.