O chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes, afirmou hoje que a estimativa oficial do órgão para a relação entre a dívida líquida do setor público e o Produto Interno Bruto (PIB) para junho é de 41,1%. Se confirmado, o número será inferior ao observado em maio, quando o indicador ficou em 41,4% do PIB.

Altamir também anunciou a estimativa de que a dívida bruta do governo geral deve ficar em 59,7% em junho, inferior aos 60,1% observado em maio. Ao apresentar os dados, ele comentou que as contas públicas continuam sendo beneficiadas pela recuperação da arrecadação. Segundo Altamir, esse processo ainda está em curso e é motivado pela recuperação da atividade econômica.

Meta de superávit

O chefe do Departamento Econômico do BC disse ainda que a expectativa é de cumprimento da meta de superávit primário de 3,3% do PIB, definida para este ano, sem o uso das possibilidades de abatimento previstas em lei. Na visão de Altamir, as receitas que já estão em expansão devem crescer mais ao longo do ano. Além disso, a partir de junho, o efeito do último contingenciamento de gastos do governo federal deve começar a ser sentido mais efetivamente.