Os presidentes dos bancos centrais dos países membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai), além dos dirigentes máximos de BCs de outros quatro países da América do Sul (Bolívia, Chile, Peru e Venezuela) encerraram a 17ª reunião de presidentes dessas instituições ocorrida hoje, em São Paulo. Em nota, os presidentes dos bancos centrais concluíram que “há sinais de melhoria nos cenários internacional e regional que sugerem a proximidade da retomada da atividade econômica”. De acordo com o comunicado, foi concluído que os países participantes do encontro exibiram capacidade superior à registrada no passado “para absorver o impacto em suas economias dos severos choques internacionais”.

Segundo o texto oficial, os dados econômicos disponíveis ressaltam também que os países da região “estão preparados para retomar o crescimento sustentável”. No encontro de hoje, o presidente do Banco Central do Brasil, Henrique Meirelles, detalhou um panorama da economia mundial – assunto que também foi analisado por outros países participantes. O BC do Brasil fez uma exposição sobre regulação e monitoramento da liquidez. O Banco Central do Paraguai exibiu um painel sobre financiamento de bancos centrais e estabilidade de preços.

No evento, também foram debatidos assuntos relativos a interesses comuns de todos os países, entre eles o sistema de pagamentos em moeda local. Essas reuniões entre os presidentes dos BCs da América do Sul são realizadas desde 2003, quando são feitas análises da economia mundial e de cada um dos países participantes.