O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje desconhecer a suposta intenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de interferir na administração da mineradora brasileira Vale, como tem sido sugerido a imprensa nos últimos dias. “Eu não vejo nenhum sinal de que o presidente tenha a intenção de interferir no cotidiano da Vale. O que eu acho que ele está falando, e é a posição do governo, é que tem de haver investimento na cadeia de produção do aço”, disse o ministro, após participar de solenidade no Ministério do Planejamento.

“O restante todo, essa coisa de ingerência, mexer na administração da Vale e nos dirigentes, eu nunca vi o presidente Lula e nenhum dos seus auxiliares, perto dele e na ausência dele, falarem esse tipo de coisa. Portanto, eu ignoro (esse assunto)”, completou o ministro. Paulo Bernardo disse que o presidente tem mantido um diálogo permanente com o presidente da empresa, Roger Agnelli, que teria estado com Lula há cerca de 30, 40 dias. “Acho que tem muita paixão nessas notas que estão saindo por aí”, disse.