As reservas internacionais brasileiras vão ganhar um reforço de 427,2 milhões de euros, o equivalente a aproximadamente US$ 505,05 milhões, nos próximos dias. Os recursos são decorrentes de um empréstimo do Bird (Banco Mundial), denominado Empréstimo Programático de Ajuste para o Crescimento Eqüitativo e Sustentável (PSAL), que está sendo concedido com base em uma agenda de reformas definida pelo governo brasileiro e apoiada pelo Bird.

De acordo com o ministro da Fazenda, Antônio Palocci Filho, esse é um empréstimo que tem o objetivo de apoiar um conjunto de reformas institucionais e microeconômicas que deverão fortalecer o crescimento sustentável do País.

Entre as principais medidas apoiadas estão ações na área de logística, onde a prioridade é reduzir o custo do despacho aduaneiro; na área do sistema financeiro, com o objetivo de aumentar a competitividade dos bancos e favorecer o acesso ao crédito; a criação de clima de negócios favoráveis, com o foco no marco regulatório; e na área de inovação, com o objetivo de estimular a inovação no setor privado.

O diretor do Bird para o Brasil, Vinod Thomas, disse que “2004 pode ser o ano de maior apoio do Banco Mundial ao Brasil”. A expectativa do diretor é de que, no ano calendário, sejam destinados ao País US$ 2 bilhões. Em 2003, foi US$ 1,25 bilhão.

Os 427,2 milhões de euros liberados agora têm vencimento em 14 anos, com cinco anos de carência. De acordo com informações do Bird, a atual carteira de projetos do banco com o Brasil compreende 53 projetos em execução, com compromissos líquidos de cerca de US$ 4,7 bilhões.