A integração das clearings da BM&FBovespa vai proporcionar uma economia de R$ 500 milhões em garantias, de acordo com Luiz Fernando Figueiredo, coordenador do Comitê de Riscos da bolsa. Essa redução, já divulgada pela companhia na publicação do projeto, não vai aumentar a alavancagem do mercado que, conforme ele, é subalavancado.

Dentre os benefícios da integração das clearings da BM&FBovespa, Figueiredo citou a consolidação da visualização das garantias por clientes. “É uma vantagem que teremos no Brasil que poucos lugares no mundo têm. Em geral, as bolsas enxergam até o intermediário enquanto a BM&FVovespa vai enxergar o cliente. Isso ajuda muito”, explicou.

Para Figueiredo, a integração das clearings vai melhorar a vida das corretoras. Questionado sobre se o processo tende a contribuir para a consolidação das mesmas, ele disse que isso depende do mercado e das corretoras. “Toda vez que o mercado fica mais eficiente, mais barato e com menos risco operacional é muito melhor para todo mundo, inclusive, para as corretoras”, concluiu o coordenador do Comitê de Riscos da bolsa. A expectativa da BM&FBovespa é de que a integração das clearings esteja concluída até final de 2014.