O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou hoje a conclusão da captação de US$ 1 bilhão em títulos no mercado internacional, com vencimento em julho de 2020.

Segundo a instituição, o anúncio e a precificação da operação ocorreram em um único dia e a operação contou com juros pagos ao investidor de 5,634% ao ano. De acordo com o BNDES, isso representa um prêmio sobre os títulos do Tesouro dos Estados Unidos de 1,875% ao ano.

O prêmio está próximo ao pago por emissores de países e empresas com ratings (classificações de risco) melhores que o BNDES, que lançaram títulos externos no mesmo dia do banco.

A operação, coordenada pelos bancos Barclays e HSBC, contou ainda com o Banco do Brasil como agente de distribuição. Os recursos da captação vão compor o orçamento do BNDES.

A instituição informou que a remuneração para o investidor, de 5,634% ao ano, foi a menor paga por um título de dez anos de emissor brasileiro não soberano desde o acirramento da crise internacional, em meados de 2008. Ainda de acordo com o banco, trata-se da menor taxa obtida pelo BNDES em emissão de títulos internacionais.

Conforme informações apuradas pelo banco, o BNDES foi o primeiro emissor latino-americano a lançar títulos externos em 2010. Em seu informe, a instituição avalia que “a elevada liquidez no mercado internacional e a percepção externa favorável em relação à qualidade do risco do banco e do País geraram oportunidade para que o BNDES acessasse o mercado neste início do ano, se antecipando e abrindo espaço para outras emissões brasileiras”.

O banco informou ainda que a demanda foi muito superior ao valor oferecido ao mercado, de US$ 1 bilhão, “com investidores de diversos perfis, muitos deles com foco no longo prazo, o que demonstra confiança no risco de crédito dos papéis do BNDES”.