O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou um financiamento de US$ 200 milhões para a construção de quatro petroleiros pelo Estaleiro Ilha S.A. (Eisa). O contrato para a obra havia sido assinado entre o estaleiro e a Transpetro, subsidiária da Petrobras, há 13 meses. A encomenda havia sido divulgada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso como o início da retomada da indústria naval brasileira, no final de 2000.

O BNDES estima que a construção dos navios, orçada em US$ 244 milhões, crie 2,4 mil empregos – 600 diretos e 1,8 mil indiretos. A obtenção do financiamento libera a Transpetro para licitar a construção de mais quatro embarcações, dentro do programa de renovação da sua frota de petroleiros. A estatal aguardava o desenrolar da análise de crédito do Eisa pelo BNDES para anunciar as novas contratações.

O contrato com o Eisa foi assinado em julho do ano passado, mas a falta de crédito do estaleiro impedia o financiamento pelo BNDES. Os sócios do Eisa foram ao exterior e conseguiram como parceiro o estaleiro Jurong, de Cingapura. Nem assim o BNDES conseguiu garantias para liberar os recursos, que fazem parte do Fundo da Marinha Mercante (FMM).

A operação, então, foi estruturada em torno de uma sociedade de propósito específico (SPE), empresa independente do estaleiro, que toma o empréstimo do banco. Desse modo, o risco do projeto é separado do risco do estaleiro. Pela primeira vez, segundo o BNDES, uma instituição financeira participa de uma operação com recursos do FMM: o Unibanco repassa 30%