O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve lucro líquido recorde de R$ 7,3 bilhões no ano passado, um resultado 15,5% superior ao de 2006, que foi de R$ 6,3 bilhões. De acordo com nota da instituição, a carteira de renda variável saiu de R$ 3,5 bilhões para R$ 6,1 bilhões e se constituiu no fator de destaque entre os vários que contribuíram para o lucro.

O banco cita que o resultado de alienação de ações teve valor de R$ 3,7 bilhões e mais R$ 1,4 bilhão vieram de dividendos e juros sobre capital próprio. Outros R$ 1,4 bilhão de lucro vieram da reversão de provisões de crédito. Ou seja, operações que eram contadas como prejuízo em 2006 devido ao grande risco de crédito e passaram a contar positivamente em 2007.

"A receita com reversão de provisão para risco de crédito decorreu, principalmente, do processo de revisão da classificação de risco de estados e municípios, além de recuperação de créditos no total de R$ 1 bilhão no ano", diz a nota do banco. "Em função desses fatos, a conta que, por natureza representa uma despesa (média de R$ 1,2 bilhão no período 2002/2006), reduzindo o lucro, apresentou, extraordinariamente, saldo positivo", diz a nota.

O resultado bruto de intermediação financeira no ano passado foi de R$ 4,8 bilhões. As despesas administrativas e tributárias do banco foram de R$ 1,4 bilhão e a despesa com imposto de renda e contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL) somou R$ 2,7 bilhões.