Depois de passar um 2009 complicado, marcado por demissões e paralisações de funcionários, a Bosch está com boas expectativas para o primeiro semestre. A ponto até de anunciar a contratação de 400 trabalhadores, por tempo determinado.

A necessidade surgiu, segundo a empresa, de um aumento na demanda do mercado interno e de um movimento de recomposição de estoques de reposição para a exportação.

Cuidadoso, o gerente de Recursos Humanos da fábrica da Bosch em Curitiba, Duilo Damaso, afirma que a maior movimentação interna e externa não pode, ainda, ser vista como um sinal de solidez dos mercados.

“Tanto que estamos contratando por tempo determinado”, explica, revelando que os contratados serão distribuídos em praticamente todas as linhas de produção da unidade, que fabrica sistemas de injeção para motores a diesel.

A duração dos contratos dos novos funcionários, conta Damaso, deve ser de até quatro meses. Após o prazo, a empresa irá avaliar a necessidade ou não de renovação dos contratos.

“Vamos observar como o mercado vai reagir e aí tomar a decisão com mais segurança”, afirma. O processo de seleção começa na segunda-feira, 1º de março, e está aberto para ex-funcionários da empresa inclusive os que estão entre os cerca de 900 desligados em junho do ano passado.

Demanda

A recomposição de estoques de indústrias no exterior não está trazendo boas expectativas só na Bosch. Uma pesquisa relâmpago feita pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Paraná (Sindimetal-PR) detectou que 35 empresas do setor estão voltando a contratar no Estado, para atender à demanda do mercado externo.

O presidente da entidade, Roberto Sotomaior Karam, informou que as empresas que estão recompondo seus estoques são europeias. “Por isso, algumas empresas voltaram a contratar, por tempo determinado, mão-de-obra para atender estes pedidos. Nossos empresários estão confiantes de uma retomada de mercado por meio destes novos pedidos”, afirmou, através de comunicado do Sindimetal.

Assim como a Bosch, Karam também vê com cuidado essas novas contratações, lembrando que elas ainda caminham a passos lentos. Ele ressaltou que apenas as indústrias pesquisadas demitiram, no ano passado, aproximadamente 1,4 mil trabalhadores. Este ano, até agora apenas 369 pessoas por essas companhias.

O presidente do Sindimetal também lembra que os processos seletivos estão dando preferência aos candidatos que já têm experiência. Assim, as indústrias evitam novos investimentos em treinamento, ao contrário do que aconteceu em 2008, quando uma grande demanda obrigou as empresas a instalarem áreas de treinamento dentro das próprias fábricas.

Ainda assim, o sindicato informou que está elaborando um projeto que utilizaria verbas do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para investir em capacitação de mão-de-obra interna das empresas.

Serviço

O processo seletivo da Bosch está sendo feito pelas empresas de Recursos Humanos Ethigroup (41-3072-2428) e Nossa RH (41-3306-0029).