A Bolsa de Valores de São Paulo inicia a terça-feira com o mesmo ímpeto de alta da véspera, quando atingiu o 25º recorde de pontuação do ano (55.371,2 pontos), em alta de 1,80%. Com apenas 25 minutos de pregão nesta terça-feira (3), o índice Bovespa subia 0,74%, estabelecendo novo recorde durante a sessão (55.783 pontos), influenciado pelo clima externo favorável.

Todas as bolsas asiáticas fecharam em alta, muitas com recordes de pontuação, seguindo os ganhos de ontem em Nova York e também devido a fatores locais. Na Europa, as bolsas sobem refletindo a alta de Wall Street ontem e repercutindo o bom desempenho das fabricantes de caminhões, depois de o banco Goldman Sachs fazer recomendações favoráveis ao setor. Nos EUA, os índices futuros de ações voltam a registrar ganhos. O Nasdaq futuro avançava 0 33% e o S&P 500, 0,25%.

Por causa do feriado do Dia da Independência amanhã nos EUA, alguns mercados fecham mais cedo nesta terça-feira em Wall Street. As bolsas encerram as negociações às 14 horas, seguidas pelo mercado de títulos do Tesouro americano, às 15 horas. Mas antes disso, ainda esta manhã, saem os indicadores mais relevantes do dia. Às 11 horas, a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis dos EUA divulga o indicador de vendas pendentes de imóveis em maio, e o Departamento do Comércio divulga os dados de encomendas à indústria em maio.

A expectativa é de um pregão de liquidez mais reduzida na Bovespa devido ao fechamento antecipado em Wall Street, podendo até passar por um movimento de realização de lucros, mas sem perder a tendência de alta. Agora que rompeu com força os 55 mil pontos, a Bovespa está liberada para buscar os 56 mil, 57 mil pontos, mas com realização de lucros no meio do caminho, diz um especialista.

O petróleo ensaia hoje correção de preços, após quatro pregões seguidos de alta – ontem o barril fechou acima de US$ 71 em Nova York e de US$ 72 em Londres. A Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) opera em seu horário normal nesta terça-feira (o pregão viva-voz fecha às 16 horas).

A Tegma Gestão Logística S.A. inicia negociações hoje no Novo Mercado da Bovespa. A Drogasil também estréia hoje no Novo Mercado.