O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, disse nesta sexta-feira (14) na abertura do Encontro de Instituições de Comércio e Investimentos da América Latina e Caribe, que o Brasil quer aumentar as suas importações dos países da região. As importações brasileiras estão crescendo a um ritmo superior ao das exportações, e pela primeira vez vão atingir mais de US$ 100 bilhões no ano.

De acordo com Ramalho, as importações brasileiras totais devem chegar este ano a US$ 110 bilhões. Ele comentou que as importações têm crescido principalmente dos países da Ásia e explicou que a intenção do governo brasileiro é aumentar a participação dos países da América Latina nas importações totais. O Brasil tem superávits comerciais com praticamente todos os países da região, com exceção da Bolívia, devido às compras de gás. Segundo Ramalho, reduzir os superávits comerciais da região pelo aumento das importações deve ajudar a integração regional.

Ele disse acreditar que a pauta de exportação dos demais países na América Latina permite isso. No mês passado, o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Luiz Carlos Melin, afirmou em seminário na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que a pauta de exportação dos países da América Latina não permitiria que o Brasil viesse a transformar o superávit comercial com eles em déficit.

Ramalho defendeu aumento das negociações comerciais entre os blocos da região para reduzir barreiras, benefícios aos produtos agrícolas e tarifas "que muitas vezes ainda são altas". O evento está sendo realizado no Rio, e é promovido pela Agência de Promoção de Exportações e Investimentos no Brasil (Apex).