O aumento da procura por notebooks ajudou o Brasil a saltar da sétima para a quarta posição no ranking mundial de vendas de computadores no segundo trimestre, segundo dados da empresa de pesquisa IDC. Com o incentivo da redução de juros nos financiamentos e do aumento nos prazos de pagamento, o volume de vendas de computadores cresceu cerca de 20% no segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2006, chegando a 2,1 milhões de unidades, somando desktops e notebooks. Entre 2004 e 2006, o Brasil havia estacionado na oitava colocação do ranking de venda de computadores.

Mas, apesar do crescimento verificado este ano, a IDC não aposta que o mercado brasileiro galgue novas posições diante da força dos primeiros colocados: Estados Unidos, China e Japão. Para este ano, a estimativa da companhia é de vendas de 9 milhões de computadores no Brasil, volume 25 % acima do registrado em 2006.

?Mesmo nas previsões mais otimistas, é difícil pensar em igualar ou até passar os outros países, pois enquanto o Brasil vende 2,1 milhões, o Japão vendeu 3,1 milhões num trimestre considerado fraco, e os resultados da China e dos Estados Unidos foram, respectivamente, de quase 7 milhões e 16 milhões no mesmo período?, disse o analista-sênior da IDC, Reinaldo Sakis.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo