Foto: Chuniti Kawamura

Paulo Bernardo: ?Precisamos garantir a manutenção?.

Brasília – O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse que a economia brasileira pode crescer 5% este ano, acima das previsões do mercado. ?Acho que é muito difícil que haja alguma coisa que impeça que o crescimento ande. O que nós precisamos garantir é que ele se sustente nos próximos quatro, cinco, dez anos?, afirmou, ontem, após participar, em Brasília, do Encontro Nacional de Prefeitos e Vice-Prefeitos do PT.

 Para o ministro, a valorização do real ante o dólar não tem afetado o crescimento da economia. Segundo ele, a corrente de comércio exterior este ano vai superar US$ 250 bilhões. ?Portanto, o Brasil se insere cada vez mais no comércio exterior?, disse.

Paulo Bernardo disse interpretar como um alerta as declarações de anteontem do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, de que muitas empresas vão fechar por causa do câmbio. ?O setor produtivo brasileiro, voltado para a exportação, é muito competitivo. Me parece que o Miguel Jorge se referiu a alguns setores que não se atualizaram, que não inovaram? , avaliou.

?Isso não quer dizer que necessariamente as empresas vão morrer. Elas podem, ainda, se atualizar e ter posição de competir e o governo tem interesse em ajudar nisso?, afirmou o ministro. Para Paulo Bernardo, as afirmações de Miguel Jorge são um alerta para as empresas investirem e se atualizarem ou ficarão para trás, não somente por causa do dólar, mas também por outros fatores.

?Eu acredito que um número mínimo de empresas, as mais velhas, as mais obsoletas, as que não investiram, as que têm problemas de velhos equipamentos, pode morrer neste processo, que é normal em todo o setor da economia, como aconteceu com os bancos que morreram no fim do período de inflação?, disse anteontem Miguel Jorge, após a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.