O Brasil considera que Cuba está em uma nova fase de desenvolvimento e quer estar ao seu lado como seu principal sócio, disse nesta sexta-feira (30) em Havana o chanceler brasileiro, Celso Amorim.

Amorim destacou que, desde a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em janeiro passado, "uma corrente de pragmatismo" domina os laços bilaterais e "nesta etapa" o Brasil quer ser "o sócio (número) um" de Cuba.

Após reuniões oficiais na manhã desta sexta-feira (30), Amorim e o chanceler cubano, Felipe Pérez Roque, assinaram um convênio de ajuda técnica e assessoria brasileira a Cuba para colheitas de soja.

Durante esta visita de Amorim, que começou na quinta-feira (29), também acontece um seminário de empresários dos dois países, em busca de setores cubanos para investimentos brasileiros.

Segundo fontes diplomáticas, o chanceler do Brasil tem a missão de avaliar o andamento dos convênios estabelecidos por Lula em sua visita há cerca de seis meses, quando passou duas horas com o ex-presidente cubano Fidel Castro, que deixou o cargo após problemas de saúde.