De olho em um mercado que não pára de crescer, a Brasil Telecom fez ontem o lançamento oficial de sua entrada na telefonia móvel. Será a primeira empresa a operar tanto na telefonia fixa como na móvel no País. Para entrar na acirrada disputa, a Brasil Telecom investiu cerca de US$ 350 milhões – cerca de R$ 1 bilhão – apenas na implantação da rede. O montante do investimento não foi divulgado pelo presidente da Brasil Telecom GSM, Ricardo Sacramento, que participou ontem da entrevista coletiva em Curitiba.

“Não queremos ser a quarta operadora a entrar no mercado, mas a primeira empresa de telecomunicações completa do País”, afirmou Sacramento. A Brasil Telecom terá pela frente um grande desafio: disputar um mercado hoje dominado pela Vivo, do grupo Telefônica, pela TIM, da Telecom Italia, e pela Claro, da Telmex. A empresa só não irá competir com a Oi, ligada à Telemar, pois não atuará na mesma área.

Para atrair os consumidores, a operadora promete trabalhar com estratégia agressiva. “Temos concorrentes fortes, de peso. Ou nos contentávamos com ?raspas e restos? do market share (participação no mercado) ou tentávamos a inovação”, apontou Sacramento. Segundo ele, a convergência fixo-móvel será o principal diferencial em relação às concorrentes, com a opção de o consumidor ter uma conta única, assim como a caixa-postal.

Com o selo “A única que tem” a Brasil Telecom colocará à venda cartões pré-pagos em formato diferenciado – redondo – e nos valores de R$ 10, R$ 14, R$ 20, R$ 30 e R$ 50, com bônus em torpedos. “Quem compra um cartão de R$ 14,00, por exemplo, ganha 14 torpedos. Isso faz uma diferença enorme para as classes C e D”, afirmou Sacramento. Outra diferença, que deve atrair também as classes economicamente mais baixas, será a possibilidade de utilizar o cartão pré-pago em ligações de telefones fixos – através do 0800 e digitando a senha do cartão – e de telefones públicos – utilizando o mesmo procedimento. “Temos armas que os outros não têm, mas não queremos privar ninguém de concorrer conosco. Tudo foi negociado anteriormente com a Anatel”, apontou.

Outro diferencial será a redução de 45% no valor da tarifa de um telefone fixo da Brasil Telecom para um móvel da mesma operadora. A promoção vai durar 14 meses. “Queremos entrar com idéias e conceitos inusitados para chamar a atenção e atingir o consumidor em cheio”, salientou.

Em breve

Apesar do lançamento oficial, a Brasil Telecom ainda não começou a comercializar os aparelhos, o que deve acontecer ainda este mês, segundo Ricardo Sacramento. A tecnologia utilizada será a GSM – devido tanto à alta capacidade de transmissão de dados como por ser imune à clonagem. A idéia, segundo Sacramento, é atingir 400 mil usuários até o final deste ano e um milhão no ano que vem. Mas ele se mostra temeroso quando o assunto é previsão do market share. “Falava-se que no mercado brasileiro o crescimento da telefonia móvel seria de 25% a 30% este ano, mas o que vemos é crescimento de 40%. Se a economia continuar dando sinais de crescimento, se o governo aprovar reformas, o impacto na telefonia móvel será muito grande”, disse. A Brasil Telecom tem hoje 10,7 milhões de linhas instaladas – nas regiões Sul, Centro Oeste e parte do Norte -, 296 mil telefones públicos e uma taxa de digitalização da rede em 99%. Em 2003, o faturamento da operadora foi de R$ 11 bilhões