São Paulo – De cada dois brasileiros, um tem ou já teve dificuldade para pagar prestações em dia. Isso é mais do que o dobro da média (23%) registrada em 14 países, incluindo o Brasil. Os dados fazem parte de um estudo inédito feito pela seguradora Cardif, do grupo francês BNP Paribas.

O estudo avaliou, no início do ano, o comportamento de 14 mil consumidores em 14 países onde a companhia atua, com relação a uso do crédito e gestão do orçamento familiar. Os números devem ser ponderados, porque a maioria dos países avaliados é de economia desenvolvida, onde a renda da população é superior à dos brasileiros.

De acordo com o estudo, o Brasil encabeça o ranking dos países onde o consumidor tem maior dificuldade para pagar prestações dentro do prazo (49%). A vice-liderança é da Espanha (31%), seguida pela Alemanha (30%) e Suíça (27%). ?Isso ocorre porque o brasileiro tem baixo nível de poupança?, afirma o gerente de Planejamento e Marketing da Cardif do Brasil, Renato Caetano.

Em decorrência desse aperto, o brasileiro está entre os consumidores que mais controlam as despesas mensais: 82%, ante uma média de 79% dos 14 países. O alemão é o mais rigoroso nos gastos, com 96% controlando as despesas, seguido pelo português (91%).

A preocupação com o orçamento resulta da grande vulnerabilidade da população com relação a imprevistos que podem surgir e atrapalhar o equilíbrio financeiro. Numa escala de zero a dez, a preocupação do brasileiro com imprevistos é 6,8 pontos – a média dos 14 países é de 5,5 pontos. O que mais tira o sono da população é alguma doença grave, seguida por morte e desemprego. Também em escala de zero a dez, o medo do desemprego representa 8,3 pontos, bem acima da média do grupo analisado, que é de 6,9 pontos. Caetano observa também que a mulher é mais preocupada do que o homem com relação a imprevistos.