O Fórum Econômico Mundial de Davos começa para valer nessa quarta-feira, 22, com uma intensa programação, em que já haverá brasileiros em atuação em diferentes painéis. Graça Foster, presidente da Petrobras, participa pela manhã do debate “O Novo Contexto da Energia”, sobre as mudanças tecnológicas e geopolíticas no setor energético.

Ricardo Villela Marino, principal executivo do Banco Itaú América Latina, estará no debate sobre “O Novo Contexto da América Latina”, no qual também estão previstas as presenças de Antônio Anastasia, governador de Minas Gerais, Mauricio Macri, prefeito de Buenos Aires, e Ricardo Martinelli, presidente do Panamá.

E Marcelo Neri, ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos e presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), tomará parte de uma interessante discussão sobre “a expansão da classe média nas economias emergentes e a contração (da classe média) nos países industrializados”.

Também estarão nesse painel Laura Tyson, que foi chefe da assessoria econômica do ex-presidente americano, Bill Clinton, e Zedillo Ponce de Leon, ex-presidente do México e hoje diretor do Centro de Estudos da Globalização da Universidade Yale, nos Estados Unidos.

Estão previstos ainda para esta quarta-feira debates sobre China, Rússia, Índia, Europa e África, e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, fará uma apresentação, conduzida pelo fundador e chairman do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab. Outra atração é uma fala de Edmund Phelps, prêmio Nobel de Economia, sobre inovação.