São Paulo

– O número de títulos protestados em todo o País em novembro teve queda de 9,9% em relação ao mesmo período de 2001, segundo pesquisa divulgada ontem pela Serasa. De acordo com a empresa, 692 mil títulos foram protestados no mês considerando-se apenas os dias úteis. No levantamento por dias úteis em todo o País, o volume de títulos protestados de pessoa física caiu 6,4% em novembro de 2002, em relação ao mesmo mês de 2001, com um total de 339 mil títulos de pessoa física.

O volume de títulos protestados de pessoas jurídicas em todo o País recuou 13,1% na comparação entre novembro de 2002/2001, por dias úteis, com o registro de 353 mil títulos no mês.

Para a Serasa, a menor inadimplência de pessoa física é atribuída à liberação de recursos do acordo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), iniciado em junho. Outra razão para a queda do número de títulos protestados decorre do comportamento do consumidor, que até novembro se mostrou mais cauteloso para assumir novos compromissos para aguardar as definições na economia, especialmente por causa das eleições.

Na esfera das pessoas jurídicas, a Serasa diz que a queda da inadimplência foi motivada pelo menor nível de atividade econômica do País e a maior utilização de informações na concessão e gerenciamento do risco de crédito.

De acordo com a Serasa, o volume total de títulos protestados no Brasil nos 11 primeiros meses de 2002, sem computar o Estado de São Paulo, apresentou alta de 4,5%, em comparação ao mesmo período do ano passado. No total, foram registrados 4,2 milhões de protestos no acumulado do ano.