A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votou hoje pela aprovação do orçamento do setor agropecuário do país, no valor de US$ 125,5 bilhões que, entre outras coisas, prevê a suspensão do pagamento de milhões de dólares para a indústria brasileira do algodão e impede o governo dos Estados Unidos de investir novas misturas de etanol nas bombas.

A peça orçamentária custeia as atividades do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) e a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC), no ano fiscal 2012.

Os deputados aprovaram uma emenda que suspende os pagamentos que vinham sendo feitos pelo governo dos Estados Unidos ao Instituto Brasileiro do Algodão (IBA). O Brasil ganhou o direito de impor tarifas sobre a importação de bens norte-americanos após vencer uma ação na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra os subsídios concedidos pelos EUA ao algodão. Em vez da retaliação aos produtos, os EUA estão pagando US$ 12,275 milhões por mês ao setor algodoeiro brasileiro. Deputados contrários à emenda argumentaram, sem sucesso, que a suspensão dos pagamentos poderá levar os EUA a uma nova batalha comercial com o Brasil.

Outra emenda aprovada proíbe o USDA de custear as instalações de novas bombas que possam disponibilizar gasolina com mistura maior de etanol nos postos de combustíveis do país. O USDA estava pronto para começar a oferecer garantias e empréstimos para a instalação das novas bombas para que os motoristas pudessem comprar combustível com mistura maior que os atuais 10% de etanol. Há veículos no país que podem rodar com mistura de até 85% do biocombustível.

Senado

O Senado dos Estados Unidos aprovou hoje uma medida que inclui a revogação dos subsídios de US$ 6 bilhões por ano destinados aos produtores de etanol do país, por 73 votos a 27. A maioria dos senadores do Partido Democrata e uma série de representantes do Partido Republicano apoiou o fim dos subsídios.

O crédito tributário destina ao setor US$ 0,45 por galão de etanol misturado à gasolina. A indústria de etanol dos Estados Unidos é protegida também por uma tarifa de importação de US$ 0,54 por galão, cuja revogação também está inclusa na medida aprovada pelo Senado. As informações são da Dow Jones.