A liminar que obrigava os caminhoneiros que carregavam açúcar da Cosan a descarregar no Porto de Antonina foi cumprida pacificamente na manhã de ontem. O advogado das transportadoras Rodogrande e Agotran, Sidnei Lostado, garante que assim que chegarem à empresa os caminhoneiros receberão o que estava previsto no contrato de frete: R$ 0,40 tonelada/hora, referente a espera entre o dia 18 e o dia 21 – data em que, segundo ele, o armazém já tinha vagas para receber a carga. Mesmo com espaço disponível, os caminhoneiros não descarregaram o açúcar antes por que negociavam com as empresas um valor de estadia maior.

De acordo com o advogado Carlos Roberto Dellarosa, presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens, os caminhoneiros estão reunindo documentação para ingressar com uma ação de cobrança contra as transportadoras, para exigir o pagamento de R$ 1 tonelada/hora pelos onze dias que os motoristas aguardaram para descarregar.