A Chefe de Estado do Canadá, Michaëlle Jean, disse nesta terça-feira (10), em São Paulo, que o País que dobrar até 2012 as relações comerciais com o Brasil, que em 2006 atingiram US$ 3,5 bilhões. Jean destacou que o setor de biocombustíveis será essencial para a ampliação dos negócios. "A inovação científica e tecnológica está no centro da nossa parceria, especialmente com o uso dos biocombustíveis, o qual o Brasil é pioneiro em sua utilização", disse ela, durante almoço promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá.

Ela afirmou também que o Canadá pretende ampliar os negócios ainda este ano nas áreas de transporte aéreo, agricultura, mineração e produções áudio visuais. "O Brasil e o Canadá têm objetivos semelhantes em termos comerciais, por isso estamos buscando dinamizar e ampliar o ambiente dos negócios." Segundo ela, há mais de 400 empresas atualmente interessadas no País, sendo que aproximadamente 100 têm escritórios permanentes no Brasil, como a Alcan, instituições financeiras, a Nortel e a Quebecor Monde.

A Chefe de Estado canadense ressaltou que o Brasil é o terceiro maior exportador das Américas para o Canadá e o maior investidor entre os países da América do Sul e Central. "Os investimentos que estamos recebendo do Brasil contribuirão para determinar os futuros investimentos canadenses aqui no País.

Balança

As exportações brasileiras para o Canadá no primeiro semestre atingiram US$ 985 milhões e as importações no mesmo período US$ 737 milhões. A Câmara de Comércio Brasil-Canadá estima que em 2007 o fluxo de investimentos chegue a US$ 4 bilhões. Entre os anos de 2002 e 2006, as exportações brasileiras para o Canadá cresceram 190%, enquanto que as importações de produtos canadenses avançaram 61%.

Os setores que apresentam as maiores perspectivas de aumento dos negócios são os de motores de automóveis, autopeças, pneumáticos aeronaves, motores elétricos, bomba e compressores, torneiras e válvulas, polímeros, óxido de alumínio, catodos de cobre, pisos e cerâmicas, móveis, calçados, açúcar, preparações de cacau e artefatos de madeira.

Jean permanece até sexta-feira no Brasil, com sua comitiva formada por representantes dos setores de educação, de cultura, de saúde e de desenvolvimento internacional. Ela encerrará sua viagem ao País no Rio de Janeiro, onde acompanhará a cerimônia de abertura dos Jogos Pan-americanos.