Dona dos jornais Gazeta Mercantil e Jornal do Brasil, a Companhia Brasileira de Multimídia (CBM), de Nelson Tanure, está agora investindo em rede de TV. A notícia foi publicada na última quarta-feira, dia 9, tanto na Gazeta Mercantil – sob o título ?Companhia Brasileira de Multimídia compra Rede CNT? – como no Jornal do Brasil, com o título ?Grupo do JB investe em TV?.

Conforme informações do site Comunique-se, a CBM esclareceu a negociação com o anúncio publicitário ?Hoje é uma data importante para a mídia brasileira?. De acordo com o comunicado ?A CBM – Companhia Brasileira de Multimídia, responsável por veículos como Jornal do Brasil (…), e a Rede CNT (…), acabam de construir uma parceria para a programação, a gestão e a comercialização de produtos televisivos?. O texto publicitário prevê ?avançadas modalidades de convergência de mídia? e que ?ao longo dos próximos meses, todo o conteúdo da rede seja produzido, programado e operado pela própria parceria?.

?Esse é um passo tão importante como foram as aquisições do JB e da Gazeta Mercantil?, afirmou Marinho para a Gazeta. A matéria afirma que ?a gestão da rede passará à CBM? e que uma nova empresa será criada para administrar o negócio.

?Vamos contratar uma equipe própria, principalmente na área de jornalismo, e abrir espaço para produtoras independentes, onde se encontra o futuro da televisão no País?, explicou Marinho na matéria. O material dos sites da CBM (JB Online e Invest News) também deve ser aproveitado pelo canal, assim como a estrutura jornalística do JB e da Gazeta Mercantil.

Conforme o site Comunique-se de ontem, em conversa pelo telefone, Paulo Marinho, vice-presidente da CBM e responsável pela negociação, confirmou que a CBM não comprou a rede de TV, assim como disse Flávio Martinez, presidente da CNT, na semana passada. ?Estamos conversando sobre uma parceria de conteúdo. A idéia é a CNT entrar com a operação técnica e ele (Nelson Tanure) e suas empresas com informação?, disse o empresário na ocasião.

A reportagem tentou contato com o presidente da CNT, Flávio Martinez, mas não conseguiu. Na matéria da Gazeta Mercantil, ele afirmou que a sede da emissora passará do Paraná para o Rio de Janeiro e terá três estúdios naquele estado.

Além da Gazeta e do Jornal do Brasil, a CBM também possui a revista Forbes Brasil. A Rede CNT é transmitida em TV aberta, por assinatura e via satélite para sete milhões de antenas parabólicas.