Os preços de 11 produtos que fazem parte da cesta pesquisada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e foram desonerados de PIS/Cofins e IPI no dia 8 deste mês caíram, em média, 2,79%, da primeira para a segunda semana deste mês, revela pesquisa feita pela Fipe. Também o custo da cesta completa, com 51 produtos e pesquisada pela instituição, teve uma redução de 0,55% no mesmo período.

Na primeira semana de março, antes de a medida provisória da desoneração entrar em vigor, o paulistano desembolsava, em média, R$ 88,77 pela compra dos 11 produtos. Na segunda semana deste mês, o gasto com a mesma cesta foi de R$ 86,29. Isso significa uma economia de R$ 2,48.

Dos 11 itens pesquisados, e que foram teoricamente desonerados, 9 tiveram queda de preço da primeira para a segunda semana deste mês e 2 apresentaram alta: acém e papel higiênico (pacote com 8 rolos).

“Não dá para afirmar que toda essa queda seja fruto da desoneração”, observa o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor da Fipe, Rafael Costa Lima. Mas ele destaca que, no caso das carnes bovinas, o movimento de queda se acentuou no período. O preço médio do coxão mole, por exemplo, caía 0,14% na primeira quadrissemana deste mês e registrou retração de 1,18% na segunda quadrissemana.

“Cada produto da lista de desoneração tem a sua trajetória de preço, mas, na média, a queda foi relevante”, destaca o economista. Isto é, tanto em termos porcentuais como em valores monetários, as quedas observadas na cesta de produtos desonerados superaram a retração da cesta total. “A cesta total caiu 0,55% e a cesta desonerada, 2,79%, no mesmo período. Já existe algum impacto”, diz Costa Lima. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.