O chefe de gabinete de Barack Obama, Rahm Emanuel, criticou as montadoras dos EUA por terem confiado durante muito tempo na venda de carros a gasolina, ao invés de investirem em veículos com o uso de energia alternativa. Emanuel também disse que as montadoras possuem uma estrutura de custo ultrapassada e cara. De acordo com ele, essas empresas só agora estão fazendo o tipo de mudança que muitas pessoas disseram que deveriam ser feitas há muito tempo.

A força tarefa da administração de Obama vai tentar reestruturar a General Motors e a Chrysler até o dia 31 de março. Se o governo falhar em aprovar seus plano de reestruturação, empréstimos atrasados podem ser cobrados e a empresa será forçada a declarar falência. A GM e a Chrysler receberam US$ 17,4 bilhões em empréstimos e estão pedindo um adicional de US$ 21,6 bilhões. As informações são da Associated Press.