O Partido Comunista da China concluiu uma importante reunião com os principais membros do grupo nesta terça-feira. De acordo com a agência de notícias Xinhua, durante o encontro de quatro dias, o Partido aprovou as diretrizes para reformas econômicas no país e deixou claro que o mercado terá uma papel “decisivo” na alocação de recursos.

Conhecida como terceira sessão plenária do Comitê Central do Partido Comunista, a reunião foi conduzida em Pequim e visava definir uma agenda econômica para os próximos anos. Em um comunicado divulgado após o fim do encontro, o Partido disse que a China aprofundará a reforma econômica para garantir que o mercado desempenhe uma função “decisiva” na alocação de recursos.

Segundo a agência Xinhua, o mercado foi definido, em várias ocasiões, com um papel “básico” na alocação de recursos desde que o país decidiu construir uma economia socialista de mercado em 1992. No entanto, nesta terça-feira, a agência citou que lidar com a relação entre o governo e o mercado é uma “questão central” no país.

O Partido Comunista também ressaltou que uma reforma no sistema econômico do país é uma prioridade e “resultados decisivos” deverão ser conquistados até 2020. Otimismo de que os novos líderes da China adotarão uma série de reformas do sistema econômico e financeiro tem sido contrabalançado por dúvidas sobre o apetite por reformas do presidente Xi Jinping e do premiê Li Keqiang, assim como a capacidade dos líderes de conduzirem mudanças frente a interesses diversos no país.